Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2008

The Key...

Sometimes
You may find
the key
but not
The Door
Sometimes you find the door
But but not the key
Sometimes you can find both of them
And just
You don't want to
hold the key

At last, what is the use of an
Open door?


Anyway
Whom would you open the door
for?

Whose key
would you use to open
your closed
Heart?

The key hole
The key soul
The Soul hole

find the key
do you wanna hold it?

Reflexos Paranóicos...

Quem é o seu inimigo?
Aquele que lhe deseja bom dia?
Aquele que o ignora?
Que não lhe deseja
Nem uma coisa nem outra?


Quem é o seu inimigo?
Seu amigo?
Seu espelho?

Eu adorava ver
Os reflexos de suas imbecilidades
Num relatório primário
Forjado por primários...

Eu adorava ver
A mediocridade
Estampada
Em sua cara...


Ainda assim
Não saberia quem é o meu inimigo
Não reconheceria sua face
Sua face amiga
Eu não tenho amigos
Não tenho inimigos

A hecatombe começa pela individualidade...

veborragia inculta

Saber a verdade não o exime de absolutamente nada
Saber a verdade não o faz melhor
Mais capaz
Mais sábio
Ser consciente não é nada
Conhecer a lei da gravidade não quer dizer que possa alterá-la
Saber
Sabidos
Consciência de uma sabedoria inútil
Não o levará a lugar algum
A ignorância seria uma benção
Encurralados lutaríamos
Como bestas selvagens
Se houvesse alguém em nossa frente
Mesmo que nada adiantasse
Pelo menos a ira seria dispersa
Ignorar, além da hecatombe,
É a chave para a libertação humana.
Lembrem-se: as portas não pensam,
Mas existem...

Temporalidades Questionáveis de Quando em Quando

O que é que lhe diz alguma coisa?
Que lhe grita o passado na cara?
Quando todos os seus sonhos lhe saltam
De seus pensamentos?
E você sente que tudo é uma dor?
Quando o que você sente
Quando o que você pensa
Quando o que você vê
O que queria
Ter visto
Ter pensado
Ter querido
Quando você quer
A vida mais bela?
Quando mais uma vez
Saltam-lhe na cara os sonhos que a vida lhe roubou?
Que levaram de você?
Quando todas as suas perguntas acabam?
Cessam?
E você se cala perante
Toda dúvida que o faz
Sucumbir a qualquer pretensão maior?
Quando é que ser grande já nem
Bastaria?
Importaria?

Quando você se cansa
De todas as perguntas?
De tantas dores?
De tantas perdas?
De tantos estranhos?
Quando você mesmo é um estranho perante o espelho?

Quando você prefere se calar
Para não sentir maiores dores
Porque elas não aliviam mais a o peso da existência?
Quando suas lágrimas
Não caem mais?
Quando todos já estão mortos?

Quando não há para o que apelar?
O viver já não é nada?
Quando o quando se aparta de você ?
E você sublima toda a vida
Fica…

Refração

Estou preso sempre no mesmo caminho
Sempre nas mesmas canções
Sempre nas mesmas idéias
Sempre preso em mim
E sempre sem querer me libertar
Sempre, sempre no mesmo sempre
Porque meu sempre me deixa sempre o de sempre
Sempre no meu sempre

Sempre preso a pessoas soltas e vãs
Sempre desapegado
Sempre preso
Sempre solto
Sempre só
Sempre acompanhado da angústia
Preso a velhas canções
Que me levam ao mesmo lugar
Aos mesmos cheiros
Às mesmas cores
Às mesmas pessoas
Que são sempre diferentes
A depender da luz
Do foco
Do ângulo
Sempre desfocado
Ah, o mesmo sempre que me inquieta,
Que me cansa
Que cansa a todos
Sempre me cansando mais do que a qualquer um...