Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2010

LIBERTAS QUÆ SERA TAMEN ( arevolução existe, risos)

De tudo, só me arrempendo das oportunidades perdidas que juntei
estando
ao seu lado...

Sobrou um gostinho azedo de decepção
Com um gosto acentuado de alívio
e liberdade...

Enfim respirando fora do martírio
Enfim vivendo a minha vida
Sem fardos... atordoados.

libertas

inania verba (pax est)

A falta de paz é um indicativo de que você pode mais
Não  a  guerra em si
Mas de inquietação
de almas inquietas
Que querem mais
Do que a mais  pura serenidade
do apaziguamento existencial
Para existir, bem existido
tem-se  que estar em pé de guerra com você...
Porque a paz consigo mesmo não lhe trará muita coisa
É Liberdade pouca
Pouca cousa

Vou guerreando assim
comigo mesmo
Por uma hora venço eu
outra vence o outro eu.
E vou me nutrindo de mentiras
aqui
ali
acolá...