Pular para o conteúdo principal

SELF...


            Em mim restava apenas a leve risada, às vezes bem pesada e estridente: uma tentativa de interagir e de ser irresponsável. Mas em mim jaz um velho rabugento que no fim desconhece seu lugar. As tentativas foram inúmeras, e eu não pertencia àquilo, não pertecencia  
a nada... 
           Esses arroubos existencialistas de toda sorte me irritam... Existo, existo, e já basta, ou pelo menos já bastaria.
- Nothing is enough, nothing is good enough to exist itselself, myself...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Patifes, por quê não?

Certamente Sou uma das maiores pessoas que você teria a oportunidade de conhecer. Mas a muito poucas eu me permito que isso aconteça. E grandiosidade não lhe diria de finanças, pois nesse caso seriam dois anões ao invés de um só.
Cada vez mais restrinjo evadir o que sou, porque a vida não se divide com gente patife, o que aliás, é o que mais há por ai nesse mundao sem porteira.
Aos estáticos ou ao efêmeros sou o oposto um do outro. Evoluo com o passar do tempo e com as parcas e poucas pessoas que conheço e que permito que me saibam.
Dentro desse conhecimento alheio me misturo com um pouco de piedade: a ignorância causa pena. Alguns pensam que podem mudar o mundo, triste isso. Alguns se acham invencíveis, patético isso. Outros tão grandiosos e não passam de um... Eu sou o que os outros não são, o que os outros não suportam por estarem aquém, por serem demasiado medíocres.
Sou tudo menos o que você acha que sou ou o que eu aparento ser diante de suas fuças.

Coitos e amores

Nos deparamos com "eu te amo". 
"Serei diferente."
Ou às vezes "me perdoe,"
uma ou duas vezes ao dia.
Amar e pedir perdão.
Amar e jogar fora.
Amar e não se bastar no amor
Amar e apedrejar
Amar e ser vazio como uma bolha de sabão
Ah!
O amor é o não-ser
É um encontro de traições
E loucuras egoístas.
Amar é um um coito interrompido!

Roubados

Tudo é roubado de nós. A vida o tempo rouba.
Os amigos oportunistas a ganância rouba
Os verdadeiros a mentira rouba...


Ah o que não nos é roubado?
A morte!
A morte é sua!
Mas antes dela
O prazer, e junto com ele, a dor são  seus.
O prazer e a dor e a morte são solidários a você.